SOBRE A MITRE

Caldeiras a Biomassa e Equipamentos para Geração de Vapor
Desde 1982

Quem somos

Desde 1982, a Mitre Engenharia se dedica à pesquisa, desenvolvimento e construção de caldeiras movidas a biomassas, gás, carvão e outros combustíveis; ao desenvolvimento de sistemas para automação de processos industriais e ao fornecimento de ventiladores industriais com tecnologia própria.

Em seus 37 anos de história, a Mitre Engenharia já realizou mais de 220 obras no Brasil e no exterior, entre equipamentos novos e repotenciações, o que lhe conferiu respeitabilidade e reconhecimento de mercado, firmando-a como empresa de tecnologia inovadora, voltada ao desenvolvimento do setor bioenergético e às expectativas de seus clientes.

Por sua trajetória e porte técnico, a Mitre tornou-se um fornecedor reconhecido de soluções completas “chave-na-mão” para geração de energia, através de equipamentos viáveis, customizados, confiáveis e com qualidade de ponta.

Nossos Valores

Nosso compromisso vai além de oferecer excelência em produtos e serviços. Estabelecemos e mantemos relacionamentos éticos, transparentes e respeitosos com nossos clientes, colaboradores e comunidade. Nos uíltimos 37 anos, construímos nossa empresa sob essas premissas, que nos levaram a ser reconhecidos por uma conduta confiável, cooperativa e segura. Essa postura sempre nos permitiu manter relações positivas com diversos clientes que nos confiaram seus negócios por quase quatro décadas.

Nossos diferenciais

Vapor Vivo
Controle de Emissão
Tratamento Auxiliar de Emissão
Equipamento para Tratamento de Gás Primário
Equipamento para Tratamento de Gás Secundário
Sistemas de Combustão

Anos de Experiência

Projetos de Sucesso

Clientes

Países com nossos projetos

COMO PODEMOS ATENDER

Nossa gama de equipamentos e soluções inclui desde componentes de geradores de vapor até soluções completas, chave na mão.

Se precisa de ventiladores industriais, equipamentos de controle de poluentes, equipamentos para geração de energia ou caldeiras especialmente construídas para atender aos objetivos de seu negócio, a Mitre pode atendê-lo.

Nosso departamento de Engenharia é reconhecido e respeitado por sua solidez, experiência e profundo conhecimento científico, aspectos valorizados e refletidos por dezenas de homenagens e prêmios de qualidade concedidos à empresa.

Sistemas de Combustão

Grelha Basculante para Bagaço
Mitre Firebox Para Biomassa e Bagaço
Leito Fluidizado para emissões reduzidas
Leito Fluidizado para carvão

Equipamento para Tratamento de Gás Secundário

Precipitador Eletrostático (PES)
Bag house
Redutor Catalítico Seletivo (RCS)

Equipamento para Tratamento de Gás Primário

Multiciclones

Lavadores de Gases

Tratamento Auxiliar de Emissão

Injeção de Calcário
Redução Catalítica Não-Seletiva (RCNS) – Sistemas NOx Out

Controle de Emissão

Análise de amostras manuais

Medição de gases contínua em linha

Vapor Vivo

Até 300 ton/h | 120 kg/cm² | 550°C

HISTÓRIA

1926

A família Bechelan mantém uma oficina in Salima, Libano e desenvolve caldeiras de pequeno porte para aquecimento doméstico.

1977

Marcelo Mitre, Presidente da Mitre, passa um ano na Foster Wheeler de Ontario, Canadá, através da empresa Zanini. Cinco anos mais tarde, a Mitre é fundada.

1983

Mitre Engenharia é fundada pelos engenheiros Marcelo e Fatima Mitre e começam suas operações repotenciando caldeiras de bagaço de cana.

2007

O primeiro projeto Mitre no Paraguai passa a operar. Atualmente, são quatro as unidades ativas com caldeiras a biomassa de cana.

2008

Primeira caldeira Mitre construída na América Central, no México, seguida por mais oito projetos finalizados e em andamento na Guatemala e em El Salvador.

2010

Mitre desenvolve mais de 200 projetos no Brazil em seus 32 anos. A primeira caldeira Mitre no Perú é concluída. Em 2012, conquista mais um projeto.

2012

Com o apoio da terceira e quarta gerações da família, a Mitre abre sua unidade internacional em Fort Lauderdale-FL, Estados Unidos, para melhor atender seus projetos.

2012/2014

Mitre Engenharia realiza mais de 210 projetos em sete países, tornando-se referência de tecnologia em equipamentos para geração de energia nas Américas do Sul e Central.

Em pleno “milagre econômico brasileiro”, o inicio dos anos 1970 foram marcados por um período de crescimento nunca antes registrado desde a proclamação da república em 1889. Entre 1968 e 1973 o PIB brasileiro cresceu a média de 10% ao ano e diversos programas de crescimento estrutural incluindo o programa nuclear brasileiro, a usina elétrica de Itaipu e a integração econômica da região norte, impulsionavam todos os setores da economia.

Neste paradigma de crescimento a industria de açúcar e álcool vive um período de expansão, financiado por programas governamentais, e o etanol surge como umas das respostas ao primeiro choque do petróleo de 1973. Em 1974, para atender essa demanda, a Zanini SA contrata o recém-formado engenheiro Marcelo Mitre para trabalhar com os projetos de geradores de vapor já existentes dentro da empresa e implementá-los.

Após 3 anos e vários equipamentos vendidos, o mercado cresce e a família Mitre é enviada para Saint Catherines, Canadá, aonde o Engenheiro Mitre passa um ano na Foster Weeler Ltd. com a missão de absorver novas tecnologias e posteriormente trazer os conhecimentos adquiridos. Os frutos desse trabalho incluiram a criação da linha de caldeiras AZ, a criação da divisão de caldeiras e a consolidação da Zanini como fornecedora de geradores de vapor movidos a biomassas, carvão, óleo e gás no mercado brasileiro.

Ao final da década, com 6 anos de casa, o Engenheiro Marcelo Mitre lidera seu time, constituído de 15 pessoas, no papel de gerente do departamento de engenharia e é referência de conhecimento técnico dentro de sua equipe. 1971: Linhas de financiamento para impulsionar a produção de açúcar são criadas pelo governo e distribuídas pelo IAA, Instituto de Açúcar e Álcool.

1973: O engenheiro Marcelo Mitre se forma na Universidade federal de Minas Gerais (UFMG) no curso de bacharelado em engenharia Mecânica e se muda para Sertãozinho no interior do estado de São Paulo, Brasil. 1973: Primeiro choque do petróleo aumenta o preço do barril em 300%.

1974: É contratado como engenheiro Junior pela Zanini SA 1975-1979: Inicio do programa Pró-álcool no Brasil. Em 1979 surgem os primeiros carros movidos a etanol nas ruas brasileiras.

1977: Marcelo Mitre é enviado para passar um ano na Fosteer Weeler Ltd. no Canadá para especialização e aquisição de tecnologia. 1978: Marcelo Mitre lidera o desenvolvimento da linha de caldeiras Zanini AZ. 1979: Segundo choque do petróleo aumenta o preço do barril em 1000%.

Num momento de fervor e de grandes expectativas em decorrência da consolidação do programa do pró álcool no Brasil e do surgimento dos primeiros carros movidos a etanol nasce a MITRE Engenharia que começa suas atividades com idéias pioneiras e mostrando desde seus primórdios uma de suas principais características: A alta qualidade de engenharia e as soluções feitas sob encomenda.

Os engenheiros Lamartine Navarro Júnior e Cícero Junqueira Franco, considerados os “pais do pró álcool” e amigos de longa data do engenheiro Marcelo Mitre, procuram a MITRE e propoem um desafio pioneiro para à época: Aumentar a capacidade das caldeiras SZ existentes nas Usinas Pioneiros e Alcídia.

Com os projetos da MITRE, a primeira aumentou a capacidade da sua caldeira SZ180 em 45%, de 45 para 65 ton/h e a segunda aumenta a capacidade da sua caldeira SZ120 em 50%, de 30 para 45 ton/h. Nasce o conceito de “Retrofit” que seria novamente executado pela MITRE engenharia por mais de uma centena de vezes nos anos subsequentes. Ao final da década a jovem MITRE já tem sua imagem de empresa de alta tecnologia consolidada no mercado sucro-alcooleiro brasileiro e tem papel significativo no desenvolvimento do etanol no Brasil.

1981: Marcelo Mitre escreve o artigo “Caldeiras para queima de bagaço e madeira”, que trás idéias pioneiras sobre co-geração de energia elétrica com excedentes exportáveis em caldeiras de bagaço de cana. Uma idéia totalmente inusitada para a época. No mesmo ano, se torna diretor da divisão de caldeiras da Zanini SA e treina o time de desenvolvimento que continuaria o seu trabalho.

1982: A MITRE Engenharia Ltda é fundada pelos engenheiros Marcelo e Fátima Mitre e começa suas operações numa casa alugada com 3 funcionários.

1983: Mitre executa os primeiros retrofits em caldeiras de bagaço nas usinas Pioneiros e Alcídia.

1984-1989: Após o grande sucesso dos primeiros retrofits a MITRE executa seus projetos em dezenas de unidades em todo o Brasil e se consolida como empresa de alta tecnologia.

1985: Início do governo civil no Brasil após 21 anos de ditadura militar.

1987: E construída a primeira caldeira com 100% de tecnologia da MITRE Engenharia. Uma MC50 gerando 50 ton/h para a usina Jaciara.

1988: MITRE constroi nova sede aonde reside até os dias atuais.

1989: É feita a primeira caldeira monodrum da MITRE: Uma MB12 gerando 12 ton/h para a Pennacchi Indústria Ltda em Arapongas-PR.

Em março de 1990 o Brasil parou. O primeiro presidente eleito diretamente em quase 30 anos, Fernando Collor de Mello, um dia após tomar posse implementa um pacote de medidas drásticas para tentar controlar a “hiperinflação” que açoitava o país desde a década anterior.

De forma desastrada o governo congela o passivo público e retira 80% da moeda em circulação no país criando uma recessão imediata e uma paralização do setor privado. Na MITRE Engenharia não foi diferente.

O que se experimentou foi um período de intensa desconfiança com os rumos do país, cancelamento de trabalhos já existentes e postergação de novos contratos. A situação política não melhorou e a década foi marcada por constantes altos e baixos até 1999 quando a sobriedade política e a estabilização da economia, alcançada pelo plano Real (1993), começa a colher seus frutos.

Se pelo lado financeiro a empresa sofre junto com o resto do país, pelo lado técnico, a MITRE tem uma década de intenso desenvolvimento: As primeiras caldeiras monodrum, da linha MPB, são feitas, a carteira de retrofits alcança mais de uma centena de unidades remodeladas, dezenas de diferentes fabricantes repotenciados e diversas modalidades de ganho de desempenho, são feitos os primeiros trabalhos de co-geração com excedentes exportáveis e começa a implementação de seus próprios sistemas de automação.

Sob situações tão adversas a empresa se reinventa e os anos 1990 acabam com a MITRE consolidada, fortalecida e preparada para o novo milênio que chegava.

1990: Após utilizar seus próprios ventiladores por anos, a MITRE cria sua divisão de ventiladores industriais. 1992: Impeachment de Collor.

1993: Execução do Plano Real pelo Ministro Fernando Henrique Cardoso.

1994: Fernando Henrique Cardoso é eleito presidente. Nesse ano é feito o primeiro projeto MITRE para co-geração na usina Alta Mogiana gerando 6 megawatts e 150 ton/h de vapor de processo.

1995: MITRE executa o centésimo trabalho de seu portfólio.

1998: Fernando Henrique Cardoso é reeleito presidente.

1999: Utilizando sua ampla experiência com automação industrial, a MITRE cria sua divisão de automação e controle.

Enquanto o mundo se chocava e os noticiários transmitiam sem parar o desastre nas torres gêmeas, em 11 de setembro de 2001, os escritórios da MITRE Engenharia finalizavam um dos projetos que marcariam o que a tecnologia desenvolvida na década anterior traria para o novo milênio: A caldeira MC150HP para a usina Pioneiros em Sud Menucci, SP.

Equipamento que entregaria 150 ton/h a 72 kg/cm2 e 520 C queimando bagaço de cana e co-gerando 35 Megawatts. O gerador de vapor de maior pressão, queimando biomassa, já feito no Brasil até então. O startup desse equipamento em 2003 foi apenas o começo do que seria um caminho sem volta. A geração e co-geração de energia elétrica utilizando biomassas, em especial bagaço de cana.

Apesar dos primeiros equipamentos com essa finalidade terem inciado sua operação na década anterior, foi apenas nos inicio dos anos 2000, com a matriz energética brasileira precisando de novas fontes, e o perigo iminente dos “apagões”, que estas soluções realmente se consolidaram. Essas fontes de energia se mostraram tão importantes e viáveis que desde o inicio dos anos 2000 até os dias atuais, o assunto geração e co-geração de energia utilizando caldeiras de biomassas é uma constante.

Novos sistemas de queima como leito fluidizado borbulhante, leito circulante, fornalha MITRE firebox entre outros, combinados com sistemas modernos de tratamento de gases possibilitam a expansão das possibilidades de fontes de combustível e trazem sua importante contribuição para ajudar a equacionar a necessidade de energia elétrica no mundo. Atualmente diversos países em todos os continentes buscam as tecnologias brasileiras para queima desses combustíveis, desenvolvidas nos últimos 40 anos, pois reconhecem o pioneirismo brasileiro neste setor.

Essa procura de novas possibilidades de energia, que iniciou no etanol, e se desenvolveu para geração direta de energia elétrica utilizando queima de lixo, capim, palha, casca de arroz entre outras fontes e resíduos, mostram que a criatividade, a engenharia, o bom-senso, o constante desenvolvimento e a coragem são importantes ingredientes para o desenvolvimento pleno, humano, eficiente e ecologicamente sustentável. Estas são as diretrizes da Mitre Engenharia.

2000: Dia 1 de janeiro: O Bug do milênio não ocorre. Nesse ano se Inicia a operação da primeira caldeira MITRE com 64 kg/cm2 de pressão e 480C para a usina Alta Alegre.

2001: Dia 11 de setembro: Ataque as torres gêmeas choca o mundo.

2003: Inicia a operação da caldeira MC150HP na usina pioneiros com 70 kg/cm2 de pressão e 520C.

2006: Mitre vende a primeira caldeira monodrum do brasil para o setor de açúcar e álcool. Uma MPB60 gerando 60 ton/h, 28 kg/cm2 de pressão e 300C para a usina CESPT em São Pedro do Turvo, SP.

2007 a 2012: Mitre vende caldeiras para o mundo inteiro, incluindo Brasil, México, Peru, Guatemala, El Salvador, Paraguai, EUA e Espanha. 2008 – Mitre vende sua primeira caldeira de leito fluidizado para queima de casca de arroz para o Arroz Pilecco em Alegrete, RS.

2009: Mitre vende sua primeira caldeira de leito fluidizado para queima de Lixo Urbano Selecionado para a Ecoenergia em Tarragona, Espanha.

2012: Mitre abre sua segunda unidade, nos EUA: A Mitre Power Technology, LLC.

2018: Mudança de endereço de nossa sede para o Edíficio Comercial New Office, em Ribeirão Preto

2019 (atual):  Mitre contabiliza mais de 220 trabalhos, em diversos países, para a produção de açúcar, etanol, energia elétrica, óleos vegetais, atomatados, arroz, níquel, entre outros. Com produção de vapor desde 1500 kg até 200.000 kg/h, pressão de até 115 kg/cm2 e temperaturas de vapor superaquecido até 540C. Combustíveis exclusivos ou mesclados incluindo bagaço de cana, bagaço de sorgo doce, casca de arroz, madeira, cavaco, serragem, lixo, carvão, gases combustíveis, óleos, capins energéticos, entre outros.

FALE CONOSCO

Endereço:

R. José Bianchi, 555, sala 705 – Edifício New Office, Ribeirão Preto, SP

Telefone:

+55 16 3623 4021

Email:

contato@mitreengenharia.com.br

Idiomas:

English / Spanish / Portuguese

Send message